RELATO DE PARTO DE MICHELLE ARAÚJO – NASCIMENTO DO MIGUEL NA MATERNIDADE BRASÍLIA

Miguel nasceu em um VBAC (PNAC – Parto Normal Após Cesárea) de 38 semanas e um dia. Em um lindo dia de sábado (10/2/2018) com 3.450kg, 48cm. Um caso de ‘quase violência obstétrica’ (só que a mãe Michelle estava preparada!!!) Foi acompanhada na gestação pela Rede Ocitocina, tendo como doula a Priscila Saldanha e a Ana Karla Veloso.
Leia abaixo o relato completo

Lá vem textão…mas vale a pena!
Esta foi minha segunda gravidez depois de uma “desnecesárea” de 5 anos.
Assim que soube que estava grávida, sabia que desta vez ia ser diferente. Me informei, me empoderei e estava decidida, ia ser parto normal, a menos que acontecesse algo na hora de diferente.
Gravidez normal, com mais mal estar que a primeira, mais peso também (engordei 18kg). Comecei a fazer acupuntura pelo plano na 28a. semana coma dra. Ana Laura (um anjo também) da Clínica Ana Maia, na Asa norte. O meu médico era do plano (CESARISTA). Uma pessoa bacana, mas sabia que ele não faria meu parto desde o início.Ia para o plantão.
Cheguei a me consultar com um médico humanista, mas o preço de R$7mil pela exclusividade do parto, não me permitiu ficar com ele.
Contratei minha doula Priscila da Rede Ocitocina e de brinde veio outro anjo Ana Karla. As duas me deram a atenção que eu precisava. Apesar de ter decidido o parto, o medo era constante: consegueria? dói muito? ia dar conta? e se eu morresse no parto? Cabeça a mil….dúvidas até o último minuto.
Na busca pela tranquilidade, fiz 5 sessões de fisioterapia pélvica (era o que o dinheiro deu) na FisioMater, com a Keyla. Foi ótimo para me empoderar mais, pois cheguei aos 9cm, além de conhecer as posições que mais me deixaram confortável.
Estava ansiosa, na 37ª semana pedindo que o bebê viesse logo, pois meu médico disse que após a 39ª semana ele não poderia se responsabilizar nem por mim nem pelo bebê. Segundo a última ultra, Miguel estava com 3,4kg, o que ele considerava um “bebê gigante” para meu corpo. Além disso, não poderia induzir meu parto, pois tinha uma cesárea prévia.
Fui para acupuntura…na primeira sessão de indução na quinta-feira (8/2). Na sexta, carnaval rolando, comprei ingressos para ir com meu filho no CCBB, prometi dançar muito, para ver se Miguel chegava loooogo…rsrsrsrs
Depilei na sexta (9/2) de manhã. Caminhei pelo meu condomínio…bem devagar, mas queria incentivar o parto de qualquer maneira. Eis que lá para as 18h desse dia, percebi uma cólica diferente. Não sabia descrever muito bem, mas continuei achando que era peso da barriga.
De repente, elas vieram mais fortes e saiu um “xixi” de mim. Era pouco, não achei que fosse bolsa.
Começamos a cronometrar as “cólicas”, que na verdade já eram as contrações. Espaçadas, de 20 em 20 minutos, 15 em 15, 30 em 30, e de repente veio uma muito forte. Desta vez a bolsa estourou mesmooooo….um rio de água na minha sala.
A ficha caiu. Estava em trabalho de parto. Era 20h30. Liga pra doula…ela pede para esperar dar mais ritmo. Mas a pressão da mãe em casa, não deixou esperar mais. (E que sorte isso!!!!). Peguei as malas e eu e meu marido fomos para a Maternidade. WhatsApp Image 2018-02-18 at 20.17.56Quem me acompanharia seria Ana Karla Veloso Valentim.
Pelo caminho, passando pela ponte JK as dores eram absurdas…a cada 3min. Marido monitorando e dirigindo…e eu com vontade de pular do carro de tanta dor. Mas a dor vem e vai (que sorte), isso aliviava ao saber que ao vir, logo ela ia….
Chegamos na Maternidade por volta das 22h30. Já fui na pulseirinha vermelha…contrações a mil….
Primeiro toque na minha vida (como é ruim isso) e estava com 4cm. Hospital vazio, era carnaval (uhuuuu) !!!!!! Até comemorei porque imaginei que teria minha sala de parto humanizado só pra mim. Ledo engano.
Me colocaram em um quarto…nessa hora já não conseguia raciocinar mais.
No quarto ficamos, eu, meu esposo e a doula. O chuveiro e a bola foram meus maiores “consolos”, pois aliviavam um pouco as contrações, junto com as massagens da doula e do meu esposo (que entrou no clima totalmente).
Não gritei tanto, fiquei nervosa porque não ia para sala de parto humanizado….queria a banheira….
Novas contrações, já não sei mais as horas, mas já passou das 1h da madrugada em pleno sábado de carnaval. No quarto, o som eram as escolas de samba que estavam passando na TV (e eu nem notei!!! hahahaha)
Pedi cesárea de todo jeito…a dor estava demais. Meu marido não deixou…disse que iria conseguir, que tinha me preparado, a doula também…ambos no esquema de não deixar eu desesperar.
Mas a dor é muito grande e o fato de eu não ir para sala de parto humanizado fiquei confusa…achei que não estava dilatando. E eis que veio meu martírio, a médica plantonista (que prefiro não relatar o nome aqui, somente inbox), me deu novo toque – 8cm. “Você ainda não está pronta, faz força aí pra ver se dilata”, disse ela. Que força????? Não tinha nem energia mais!!!! Estava desfalecida de tanta dor….
A insensível doutora saiu do quarto e me deixou lá…”dilatando mais”. E a sala de parto humanizado????? O hospital estava vazio…..ninguém respondia.
Mais tarde fui saber que para ir para a tal sala, a médica teria que ficar comigo lá e acredito que ela não estava afim disso e, por isso, me deixou no quarto, sendo monitorada pela enfermagem.
Chuveiro…bola…massagem…Chuveiro…bola…massagem…Chuveiro…bola…massagem…Chuveiro…bola…massagem…chuveiro…comecei o expulsivo.
Estava acabada, sem forças, marido preocupado, ninguém levava a gente para sala de parto….
Meu expulsivo começou no chuveiro do quarto…o corpo fazia a força sozinho…daí eu gritei “estou no expulsivoooooo”
Enfim uma enfermeira veio e autorizou minha ida ao centro cirúrgico. Não sabia a hora mais, nem sabia onde eu estava, partolândia total…a gente parece que está drogada, sei lá…é uma doidera!!!!
Cheguei no centro cirúrgico…olhei em volta…estranhei…cadê a banheira? cavalinho? só tinha a maca e a banqueta no chão…
E minha algoz, a médica. Neste momento, a doula e meu esposo estavam colocando a roupa própria para centro cirúrgico e eu sozinha ali….
A médica disse: “deita na maca”….”você tem que parir deitada”.
WhatsApp Image 2018-02-18 at 20.17.57 (1)Não sei de onde tirei forças….olhei pra ela e gritei : “Parir deitada o cacete…eu vou parir na posição que EU QUISER”. Virei de cócoras….
Ela disse…só tem a banqueta então…
Eu gritava de dor…a doula e meu marido chegaram…
A médica dizendo que eu não estava colaborando…que ela poderia me dar anestesia…
Eu disse NÃO….
A doula no meu ouvido me disse…Calma, ta tudo certo, vc está conseguindo…
Fui pra banqueta, marido atrás me segurando e a médica pressionando para eu fazer força…em nenhum momento uma palavra de incentivo, uma calma, uma força….
Mas eu parei na banqueta e pensei…vou esperar meu corpo fazer a força…em menos de 2 minutos que eu entrei naquele centro cirúrgico, veio a força…e eu fiz a força maior, talvez a última do fundo do meu corpo. Miguel saiu, primeiro a cabecinha e escorregou o corpinho……
Aaaaaah! Que alívio!!!!! CONSEGUI!
Placenta veio…cortou cordão após o pulso parar, fiquei uns 20 min com meu bebê no colo. AAAh que delícia…que cheirinho….
Que vitória!!!!!
Bebê foi com pediatra e meu esposo após minha autorização e fui pra maca. Tinha laceração interna…acho que uns 6 pontos. Graças a médica, é claro!!! Penso que se ela tivesse calma, sem pressa, me passando segurança poderia ter esperado sair aos poucos e não precisaria fazer a força que fiz.
Mas tudo bem!!!! Miguel nasceu as 2h52. Ou seja, tive parto ativo de 5h….muito rápido!!!!!
Passou…filho saudável…mamãe satisfeita em ter conseguido e mais satisfeita ainda em não ter deixado uma médica insensível me dominar no momento mais frágil da minha vida.
Para quem passou por uma cesárea e um parto normal, digo mil vezes…PARTO NORMAL….
A dor é do tamanho que a gente aguenta, o bebê também é do tamanho que a gente o corpo possui, e o pós-parto é uma benção, estou andando, indo ao banheiro normalmente e sentindo apenas incômodo local. Na cesárea, fiquei 10 dias sem ir ao banheiro e andar direito, fora a cicatriz que jamais saiu e ainda deu quelóide.
CONSELHO: empodere-se antes do parto…só assim você garante seus direitos mínimos!!!!
Sobre a médica já fiz minha reclamação formal na maternidade. Espero que ela ao menos seja mais sensível com as próximas gestantes!!!
Obrigada a Deus por estar comigo em todo o momento, ao meu esposo que foi maravilhoso e me surpreendeu positivamente em tudo, as minhas doulas, em especial Ana Karla Veloso Valentim e também ao grupo Cesárea, Não Obrigada (do Facebook) e ao Parir Sem Medo – Rede Ocitocina. Tudo e todos colaboraram para que eu conseguisse!!!!!

Um comentário sobre “RELATO DE PARTO DE MICHELLE ARAÚJO – NASCIMENTO DO MIGUEL NA MATERNIDADE BRASÍLIA

  1. renata souza disse:

    oi, te achei por acaso, procurando relato de parto normal na maternidade brasília, quero muito tr meu baby lá, muitas boas indicações, eu quero parto normal, minha médica fará o parto, exceto se tiver em um outro parto de emergencia, é claro que estou com medo, mas obirgada por escrever sobre seu parto, eu chorei lendo, grávida vc sabe com é, chora e chora. PARABÉNS por sua força.

    queria saber o nome da médica se possível.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s