O que significa ser acompanhante | Por Alexandre Patzlaff

O pai Alexandre Patzlaff relata a respeito do privilégio de ser “o escolhido”. Ser acompanhante é de fato uma grande missão. Em um das rodas da Rede Ocitocina sobre a participação ativa do acompanhante, anunciou que tinha um texto preparado para dar como recado aos futuros pais ali presentes. O seu relato foi tão comovente que pedimos a ele autorização para publicarmos como postagem extraordinária aqui no blog. Um guest post pra lá de especial. 



“Não é possível que isso aconteça!” Disse à minha esposa numa conversa sobre mais um caso de desrespeito à vontade de uma gestante, as violências obstétricas ou às vezes apenas chamadas de situações desagradáveis para amenizar a gravidade do ocorrido.
E eu antes pensava: cadê o acompanhante? O que ele fez? Quem era? Seria o pai, a avó, o avô, uma amiga?
Bom, o que posso dizer é que foi a própria gestante que escolheu e se você é “o escolhido”, você precisa ser mentalmente forte, muitas vezes até mais forte até que a própria gestante.
Li em algum lugar que um bom homem é um exército e então eu te digo: no dia que acontecer você terá que ser dois, um para a mãe e outro para o bebê, além de ter que ser forte o suficiente para não permitir o que não for desejo da mulher.
Já cansado de contar a guerra que vivi no parto da minha filha, que só por informação nasceu pesando 3.860kg, via vaginal, num hospital com índice superior a 90% de cesarianas, hoje começo a me preparar para a próxima guerra porque sou o escolhido e terei que ser novamente dois exércitos.
Não é pelo machismo ou feminismo ou qualquer outra proposta.
É pela família, pelo amor e pelo respeito às vontades de minha esposa como ser humano que teve vontade de parir.
Sobre a próxima guerra estamos conversando e a dica que dou ao escolhido é que converse com sua assistida e saiba quais são as vontades dela.
Força! Vocês vão precisar!
Por Alexandre Patzlaff

28236420_1572244999519024_1688410784_n

Mãe Beatriz diz: Não temos nenhuma foto que mostre a participação do pai, nem mesmo aquelas fotos clássicas de nascimento. Mas o papai registrou meu ar de alívio por termos conseguido como esperávamos. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s