Partos em Série: Jane The Virgin (2015-)

Jane The Virgin é um seriado em que o enredo é uma paródia de telenovela mexicana. A personagem principal é virgem e foi acidentalmente inseminada artificialmente em um consultório ginecológico. A primeira temporada toda é sobre a gestação surpresa da Jane.

*Adendo importante: A doula Yohanna foi apresentada a essa série durante a fase latente do parto de sua doulanda Rebeca Guilardi, enquanto as contrações ainda davam umas tréguas, assistíamos felizes para distrair*


Parto 1: O nascimento de Jane Villanueva (S01E22)

O episódio em que a Jane entra em trabalho de parto inicia com a cena da mãe da Jane, Xiomara no expulsivo. É uma cena breve, mas mostra detalhes interessantes. Já de cara o narrador fala de como eram os partos das mulheres na família Villanueva. Os bebês vinham tarde (não dá pra saber se é tarde no dia, tipo de noite ou madrugada ou se é tarde tipo no pós termo, após a 41a ou 42a semana); vinham rápido; e vinham sempre meninas. Parto hospitalar, via vaginal. A mãe de Xiomara, a abuela Alba estava de acompanhante. Xiomara sofreu puxos dirigidos pela equipe (G.O e E.O) e pela própria mãe.A mãe de Jane é mãe solo e nesse episódio fala de como foi parir, ao lado de sua mãe e como eram todos os partos das mulheres da família Villanueva.
A vó fala o que é uma frase tradicional da família “5 minutos minutos de dor para uma vida inteira de alegira, ENTÃO COMECE A FAZER FORÇA OU ENTÃO EU MESMA VOU ARRANCAR ESSE BEBÊ. FOOOORÇA!”

PARTO 2: O Nascimento de Mateo Gloriano Rogelio Solano Villanueva (S01E22)

Prelúdio – maior parte vista no S01E17: Como a temporada é sobre a gravidez, muitas coisas foram abordadas. Se passa em 2015 e quando a Jane foi para uma loja de bebê para saber o que pedir no chá de bebê, encontrou uma mãe moderna, daquelas que praticam maternagem consciente, criação com apego e se liga nas evidências (exceto na forma de carregar o bebê no wrap – que não estava na posição fisiológica mas fora isso, ela estava super atualizada e linda) deu um monte de dicas para a Jane. Sobre aulas de gestação, lactação; contratação de doula, filosofias de criação, etc. (Obs.: A Jane descobre em uma das aulas em que as boas doulas estavam sem disponibilidade porque sua DPP estava próxima demais, ela também descobriu que existiam vários acrônimos e grupos de apoios com mães desesperadas por se sentirem inaptas sabendo da fisiologia e psicologia relacionadas à maternagem)

Com 37 semanas, a Jane está com 1 dedo de dilatação, nenhum outro sinal. Como sabemos, 37 semanas é bem improvável que haja um trabalho de parto espontâneo. A médica inclusive menciona isso, 5% de chances.

No episódio do dia do parto mesmo, a Jane entra em pródromos e tem um alarme falso. Os médicos falam que quando as contrações estiverem 4/4 min está na hora de ir para o hospital. O Michael (namorado) presencia duas contrações próximas e vão correndo para descobrirem que eram apenas contrações de treinamento (Braxton Hicks). No dia seguinte, as contrações surgem com maior frequência. Quando chegam a 8/8 min ela entende que realmente está em trabalho de parto, logo ficam 7/7 e assim sucessivamente. Chega ao hospital e mostra que está com 6cm de dilatação. A Jane está acompanhada do pai do bebê e de sua abuela e aparentemente está em um quarto PPP (pré parto, parto e pós parto). O pai do bebê sugere a ela tentar algumas das posições que eles viram nas aulas mas ela está com muita dor. Ponto pra série pela cena realista!
Ela ainda conversa entre uma contração e outra e as pessoas ao redor empurram a idéia de peridural para ela sem parar. Ela gostaria de ter um parto natural, mas totalmente desencorajada pela família e equipe técnica e logo topa. O seriado mostrou algo bem real: a demora na evolução da dilatação. Continuam 6cm até o dia seguinte (desaceleração/estagnação é comum em quem recebe analgesia cedo. A maioria dos hospitais do Brasil apenas oferecem apenas a partir de 8cm) – Detalhe: A bolsa da Jane não rompeu mas o seriado não mostra o bebê empelicado. Apenas menciona na temporada seguinte.
Enfim, chega o momento do expulsivo e a mãe e o pai da Jane também entram no quarto. A mãe diz a mesma frase ~encorajadora~ para a filha que ouviu de sua mãe no seu parto e a Jane (também com puxos dirigidos) consegue enfim parir a Nina, só que descobrem que não era menina, então se torna Mateo. (Isso também acontece com certa frequência. A certeza nos ultrassons de que é uma menina nunca é bem certeza, O corpo pode desenvolver os órgãos genitais masculinos depois ou talvez eles fiquem imperceptíveis nas imagens.)
Foi uma linda cena. Dava pra ver a ocitocina rolando.


PARTO 3 e 4: Os Partos da Petra – Nascimentos das gêmeas (S02E14)

A Petra propositalmente se inseminou artificialmente com o esperma do Rafael e por alguns motivos muito loucos ela passou o trabalho de parto com a Jane, mãe do primeiro filho acidentalmente inseminado do Rafael.
O primeiro sinal de TP dela foi a bolsa que a escorreu. Achei ótimo a série mencionar que não é um “plóft” que estoura como muitos filmes mostram. Muitas vezes parece ser xixi saindo sem parar. Aí a Petra disse que sentia que estava mesmo fazendo xixi e sairam correndo. Meio ponto para a série! Pouco depois de chegar lá, ela estava já com 6cm.
Gravidez gemelar e ninguém em momento algum sugeriu cesárea! Ponto para a série de novo!
Por causa do número de plaquetas nos exames da Petra, não permitiram que ela tomasse analgesia peridural. Ela foi muuuito mais ativa no TP dela (sendo que a Jane que havia feito um bocado de aula e ficou sentada na maca o tempo todo) – ela usou a bola suíça, se manteve em movimento, usou técnicas de respiração, etc. No expulsivo também sofreu manobra de Valsalva/puxos dirigidos com a equipe mandando ela respirar assim e fazer força assado.
Deu tudo certo, a Elsa e a Anna nasceram bem (sim, que nem Frozen)


Observações:
1.
– O seriado aborda muuuuuuita coisa de gestação e parto
– mas a segunda temporada fala praticamente tudo que poderia falar de puerpério. É lindo de ver. Tirando o fato de que seguem colocam o bebê chorando pra dormir sozinho e falam disso como se fosse revolucionário e eles fazem um cronograma de amamentação (quando o ideal para bebês que mamam LM é a livre demanda) tudo é super atualizado. Falam de colostro, descida do leite, contato pele a pele, banhos raros para paridas (rsrs), etc

2. Como é uma baita confusão de inseminações, o seriado fala bastante de guarda compartilhada, maternidade solo, relação entre os companheiros atuais e antigos.

3. Tem no netflix


PARTOS EM SÉRIE

Friends
Big Bang Theory

How I Met Your Mother
Heartland
Grey’s Anatomy
Brothers and Sisters
Jane The Virgin
The New Normal
Grace & Frankie
Gilmore Girls


Escrito por: Yohanna Cordeiro – Doula e Consultora Perinatal

 

10 comentários sobre “Partos em Série: Jane The Virgin (2015-)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s