15 de outubro, dia Internacional de Sensibilização à Perda Gestacional e do Infante – Um Relato | Por Adele Doula

img_1162bwpp4x6

Hoje, 15 de outubro, é o dia Internacional de Sensibilização à Perda Gestacional e do Infante. E nesse dia é importante darmos visibilidade aos relatos que nunca são postados, às histórias que são guardadas no fundo do coração. As histórias dos bebês que não estão mais aqui…

Hoje, trago o meu relato. Meu relato de Doula. O relato do meu primeiro contato com a perda gestacional intra parto. Meu relato é para o Heitor, para sua mãe e para seu pai, para sua família e para todos aqueles que o amaram…

Heitor

Quando eu te conheci, você já não estava ali…

Eu fui lá para ajudar a sua mãe, Heitor.
Ajudá-la a passar por tudo que ela precisaria passar naquele momento.
Ajudá-la a passar pela pior experiência que uma mulher consegue imaginar.
Eu fui lá para ajudar a sua mãe…

Eu não esperava… você.

Heitor.

Ninguém esperava mais. Ninguém te aguardava, ninguém te chamava.
Não tentaram ouvir seu coração, Heitor. Já sabiam.
Você estava ali na barriga, nas palavras, nas lembranças…

Mas ninguém te esperava mais.

Eu não te esperava…

Não esperava sentir por você o friozinho na barriga, tão parecido com o que sinto em cada nascimento, quando vi seus cabelinhos…
Não esperava prender a respiração quando você nascesse, aguardando ansiosamente pelo som da sua voz, que não viria…
Não esperava sentir meus olhos enchendo de lágrimas de alegria ao ver você nos braços de sua mãe, onde você tinha que estar, onde era o seu lugar…

Eu não te esperava…

Mas você veio, Heitor.

Veio cheio de cabelinhos, veio todo molinho, veio todo branquinho…
Bem ali sob os meus olhos
Direto para os braços da sua mãe.
Com cheiro de bebê, com rosto de bebê…

Você era um bebê, Heitor!
Um bebê perfeito

Perfeito…

E eu prendi a respiração, Heitor
Eu esperei
Eu desejei
Seu choro
Seu som…

O silêncio da sala fez um buraco no meu coração, Heitor… mais até do que as lágrimas dos seus pais.
O seu silêncio, Heitor…

Silêncio eterno…

Sua mãe pediu para te ver melhor.
Eu estava ali pela sua mãe, Heitor
Eu estava ali…

E eu te toquei, Heitor

Eu te peguei entre minhas mãos…
O tesouro mais precioso…
A sensação mais inesperada

Sagrado, Heitor

Aquele toque foi sagrado para mim…

Coloquei você em uma posição confortável, Heitor
Sim, confortável
Limpei seu rostinho com muito carinho
Sim, com carinho
Cobri seu corpinho pra te proteger
Sim, te proteger

Observei você nos braços de sua mãe, sob os olhos atentos de seu pai
Observei como te olharam
Observei como te tocaram
Observei como te reconheceram

Seus pais te reconheceram, Heitor

E reconheceram a si mesmos em você

E meu coração se encheu de amor
e meus olhos se encheram de lágrimas

De lágrimas de alegria, Heitor

Porque você viveu, mesmo que tão brevemente
Porque você foi amado, tão, tão intensamente
Porque você foi respeitado, mesmo após a sua partida

Porque você nunca será esquecido…

Eu fui lá para ajudar a sua mãe…
Mas foi você quem me ajudou

Obrigada, Heitor”

Conheça o documentário O Segundo Sol, que aborda o tema da perda gestacional e sua superação:

Você passou por uma perda gestacional? Venha participar do grupo de apoio no Facebook moderado por Adele Doula:
Superando a Perda Gestacional
 Por Adele Valarini, Doula e Consultora Perinatal | Texto de 29/11/2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s