Enxoval Minimalista – Do que o bebê precisa?

Dizem que ter um filho é muito caro, falam de Miami, falam de inúmeros aparatos, falam de 700 fraldas por dia e falam de espaço. Será mesmo? O que é imprescindível e o que é luxo?
Além do mais importante, que é a informação, o que mais é necessário para quando o bebê chega?
A descoberta da gravidez pode ser surpresa ou pode ser planejada mas o enxoval, de forma geral, geralmente é montado no segundo trimestre, que é quando a gestante tem um pico alto de energia, criatividade e vontade de concretizar a gestação se preparando com bens materiais.
Vou falar aqui um resumão básico pra quem quer economizar dinheiro/espaço/tempo.

Antes de sair de loja em loja e de pesquisar por promoções ou passagens aéreas, eu tenho 5 sugestões.

1) Saiba o tipo de criação que você quer para seu filho.

A filosofia de criação é aplicada assim que o bebê nasce e isso mexe diretamente com o que você pode querer ou não adquirir.
Por exemplo: se você pretende criar com apego  um carregador de bebê pode ser muito útil e um carrinho talvez nem tanto.
Existem diversos tipos de criação que vão de rotinas à higienização.
Os cuidadores do bebê devem decidir antes das compras como será a questão da fralda (descartável ou ecológica – as de pano, modernas), a questão do sono (se será uma rotina definida pelo bebê, se será definida pelos pais, onde dormirá, etc) e o aleitamento (se será livre demanda, exclusivo, se haverá complemento de fórmula e como esse será oferecido) etc. Para que essas decisões sejam feitas de forma CONSCIENTE é preciso estudar. Mantendo em mente que outras gerações não tinham a quantidade de informação pelos estudos que temos hoje.
É importante se atentar ao item 3 também quando essas filosofias, ideais e rotinas forem escolhidas e as coisas do item 2 já acordadas.

Recomendo as seguintes leituras:
“Meu Filho, Meu Tesouro” – Dr Benjamin Spock
“Bésame Mucho – Como Criar seu filho Com Amor” – Dr Carlos González
“O Livro da Maternagem” – Dra Relva (Pediatria Radical)

2) Saiba o que pessoas próximas podem te doar/vender/trocar.

Além de econômico e ecológico, isso pode ser muito sentimental.
Às vezes ficamos com vergonha de pedir, mas saiba que muitas famílias ficam com receio de oferecer itens usados porque há quem se ofenda. Boa parte do que bebês usam, é por pouquíssimo tempo. Se você não se importa com roupinhas usadas, aproveita e sai perguntando. Tem gente que ama repassar para quem conhece, porque além de poder ajudar ainda vê peças por quais tinha muito carinho num bebê que vai participar da vida dela. Essas heranças de roupinhas, utensílios, enfeites, pode economizar MUITO dinheiro e pode deixar todo mundo feliz!

3) Saiba o tipo de quarto/ambiente que você quer para o seu bebê

Tem aquele quarto tradicional de bebê, em que tudo facilita os cuidados para quem é responsável pelo bebê.
Nesses quartos geralmente há berço, móbile, cômoda com trocador, kit de higiene, porta-fraldas, enfeites nas paredes, poltrona de amamentação, lixinho e armário. O bebê é colocado e retirado do berço sempre com auxílio dos cuidadores. e1531159182a81a23e9e8c8428784ed6Alguns são mini berços de 0-3 ou 0-6 meses e alguns tradicionais podem ir até 2 ou 3 anos de idade se ajustar a altura. Hoje vários podem se adaptar em camas depois. O foco desse quarto são os adultos que usarão ele ao cuidar do bebê em todas as fases até cerca de 3 anos.

Muitas pessoas estão tentando fugir disso e buscam aumentar o conforto e independência do bebê em quartos montessorianos, onde tudo estimula a parte cognitiva e motora do bebê seguindo princípios da educadora Maria Montessori. Nesses quartos há geralmente um colchão no chão (para que o bebê consiga subir e descer quando já engatinhar) às vezes com um esqueleto de casinha ou cabana pra ficar fofo, barra na parede (estilo as de dança) para ele se “arrastar” para o outro lado do quarto e explorar suas habilidades físicas, espelhos a altura dele, prateleiras baixinhas com organizadores para que ele alcance seus brinquedos. 4010-1-Copy-1026x712-1Com o passar do tempo os pais podem incluir uma arara de roupas e gaveteiros para que se vistam. Muitas vezes tem mesinha e/ou quadro negro na parede para desenharem com giz (ou rolos grandes de papel) e pela casa fruteiras baixas na introdução alimentar, cadeira baixinha, banquinho no banheiro para o desfralde, escovação de dentes ou para lavar as mãos, etc.

E há quem não designe especificamente um cômodo para o bebê e adapte o próprio quarto, sala, etc para que o bebê fique acompanhado de seus cuidadores sempre e ao mesmo tempo tenha acesso aos brinquedos e locais de descanso dele. Podem inclusive mesclar itens tradicionais com montessorianos. Tendo um mini berço ou berço acoplado na cama dos pais e na sala ter um tapete com brinquedos em estantes ao alcance. Ou então no quarto dos pais se faz cama compartilhada e na sala se coloca tapete e mini berço para caso os pais estejam fazendo comida, assistindo filme, etc e queiram o bebê por perto.

Algumas pessoas preferem aqueles berços de camping, portáteis que viram um chiqueirinho (muitos bebês preferem o mesmo ambiente dos pais então talvez não funcione como o esperado)
E, por fim, tem berços em rede e redes para berços (podendo também serem improvisadas com slings) e redes para bebês. Esses podem ser instalados onde a família preferir desde que se atente à segurança do bebê.

4) Saiba o que NÃO é recomendado

Amamentação: Não é recomendado o uso de conchas (para evitar a proliferação de bactérias e fungos), pomadas no mamilo (para não alterar o gosto e nem dificultar a pega do bebê), e nem bicos artificiais (nem bico intermediário, chupeta, mamadeira, chuquinha, etc para evitar a confusão de bicos, desmame precoce e problemas na arcada dentária) – Se for oferecer leite ordenhado, fórmula e depois da introdução alimentar Água, é sugerido que se use copinho normal, copo 360, copo de transição, colher dosadora, colher normal etc
Sono: Não é recomendado que bebês pequenos durmam em um cômodo sem a presença de seus responsáveis, nem com travesseiro, panos cobrindo (melhor agasalhar com roupas adequadas a utilizar mantas) e com objetos no berço do tipo bichos de pelúcia, kit berço, etc. Essas recomendações são pelo risco de asfixia, prevenção da SMSL (Síndrome da Morte Súbita do Lactente) e evitar alergias respiratórias pelo acúmulo de poeira.
Higiene: Não é recomendado o uso de lenços umedecidos no dia-a-dia. Sendo preferível lavagens ou a limpeza com algodões molhados – não precisa ser com água morna (a garrafa térmica portanto não é super indispensável)
Coordenação motora: Não é recomendado o uso de sapatos em bebês e nem enfeites que chamem a atenção deles mas que eles não possam tatear/levar à boca.
Succção Não Nutritiva: Não é recomendado o uso de luvas e nem de chupetas. Os bebês já sugavam as mãos e dedos desde a gestação e isso faz bem a eles. Sugiro estudos sobre Confusão de bicos, sucção digital e fase oral.

5) Saiba o que é essencial e o que é extremamente útil

Berço é opcional, há a possibilidade de usar o método do quarto montessoriano, rede ou fazer cama compartilhada, que é a opção mais em conta. Para quem for adaptar o próprio quarto nos primeiros meses existe: Mini berço/Moisés, berço acoplado, carrinho deitado ao lado da cama e o ninho para um berço maior e ficar mais aconchegante, Algumas pessoas colocam o ninho para fazer cama compartilhada. Recomendações sobre a cama compartilhada AQUI. Clique para saber quem pode praticar, quem não deve e como deve ser o arranjo.
Banheira não é a opção mais prática, mas muitas famílias fazem questão e amam. Opções: há o ofurô que remete à sensação intrauterina e permite uma posição vertical que facilita o sistema digestivo do bebê e o banho no chuveiro. De longe o mais prático e econômico das opções. É preciso, no entanto, uma logística para a hora de sair do chuveiro. Quem pegará o bebê? A pessoa que estava dando banho continuará lá para limpar a si mesma? Se estiver sozinha, como vai enrolar o bebê e a si? Depois de um tempo tudo isso fica mais prático, mas é bom pensar nisso desde o início.
Trocador é opcional há quem use o tradicional na cômoda, há quem use aquele de bolsa pra forrar qualquer lugar onde estiver, e há quem use uma manta ou toalha de fralda/fralda de pano simplesmente e troca em cima de qualquer lugar confortável, como sofá, cama, carrinho, etc.
Carrinho e Sling depende muito de muita coisa, mas se você for exterogestar, provavelmente já terá pensado em um carregador ergonômico de bebê. 27857776_10155664481648303_4322184375762729799_nMas o carrinho pode servir para outros momentos, como quando fará um passeio muito longo ou compras, ou se já estiver carregando uma ou mais crianças, etc. Existem diversos tipos de carrinho, aqueles maiores em que geralmente se acopla o bebê conforto no início e aqueles de passeio, indicados para bebês que já sentam. Carrinhos precisam ser práticos na hora de fechar e levar. Se você anda muito de ônibus talvez não seja a melhor opção. Muitos shoppings emprestam ou alugam carrinhos e super mercados estão adaptando carrinhos de compra com bebê conforto acoplado. Então mesmo quem não tem um carrinho próprio pode usufruir desses outros. Carrinhos são ótimos para festas, por exemplo, se você quer dançar no casamento da amiga, você pode deixar o bebê no carrinho pertinho da mesa da família e as pessoas revesam o olhar atento enquanto alguém fica “livre”. De todo modo, nada impede você de ter carrinho-berço, carrinho de passeio e sling! Tudo é possível. Se você pretende comprar um carregador de bebê (sling de argola, tipóia, wrap sling, mochila ergonônica, etc – Vide foto ao lado) sugiro que visite amigos que tenham e experimente antes de comprar. Quase todos duram por mais de dois anos então é um investimento bom. Lembre de procurar os ERGONÔMICOS. Canguru não está na lista por não respeitar a anatomia do bebê e muitas vezes ser maléfico para quem carrega. Sugiro o grupo no Facebook Bem Carregar Bebê – Brasil.
Kit de Higiene é opcional. Você pode simplesmente ter um saquinho ou caixinha de algodão. O Kit é mais para enfeitar e os itens são dispensáveis. Não é necessário ter muitos produtos industrializados. Pomadas de prevenção, perfumes, lenços, etc.
Cortador de unha extremamente útil, desde que você ache aquele que você consiga usar bem. Há quem prefira a tesoura, há quem prefira cortador, há quem consiga a façanha de usar lixa e há quem goste de cortar no dente por ser mais fácil diferenciar pele de unha. Bebês já nascem com a unha grande, lembrem disso.
Sutiã de Amamentação é possível sobreviver sem. Tem sutiãs normais e tops confortáveis, alguns transpassados que são flexíveis e servem para o mesmo propósito. Se quiser muuuuito comprar, sugiro que compre após a descida do leite (terceiro/quarto dia após o parto) porque você antes disso não tem como saber como ficará seu peito.
Saída Maternidade tem muita gente que segue essa tradição, tira foto estilo realeza/celebridade. Tem gente que não. É super não obrigatório.
Mosquiteiro no berço não é recomendado o uso de repelentes em bebês, se onde vocês moram há muitas muriçocas, muitas moscas, muitos bichinhos de fruta, etc é bom ter algo sim. Há que faça improvisado com tule. Compram por metro em armarinhos e colocam no bebê conforto, carrinho, berço, etc. Tem como pôr a tela mosquiteira nas janelas da casa também.
Roupinhas é bom ter umas 20 mudinhas de roupa pelo menos, pra cada fase. Assim quando sujarem algumas, você tem outras enquanto secam. Não aconselho ter um monte de roupa pra ocasião especial. Bebês incomodados com frufrus e tecidos grossos é uma dor de cabeça que não vale a pena, até porque as roupas geralmente cabem por cerca de 3 meses. Em quantas festas ele vai nesse meio tempo? Tenha roupas fofas mas simples. Conforto sempre acima de tudo. Tenha para climas variados. DETALHE: é normal bebês odiarem sapatos e Às vezes até meias. Lacinhos também não costumam ser bem aceitos. Colares e pulseiras também (e ainda tem o risco de puxarem, destruírem e se engasgarem) – então cuidado com acessórios.
Fraldas sugiro com todo o coração que faça chá de fraldas ou chá de bebê. Sendo para arrecadar as descartáveis ou comprar as ecológicas. Os chás costumam render bastante e ter um evento social na gestação às vezes é necessário para uma grávida que está querendo ver gente e celebrar a vinda desse bebê! Se for comprar, converse com outras mulheres sobre marcas. Nem sempre aquelas super famosas significam qualidade. Muitas vezes significa só preço absurdo mesmo. Eu gosto de muitas que costumam ser baratas.
Poltrona de Amamentação essa poltrona precisa ser muito bem pensada. Se já há algum lugar confortável na sua casa em que você possa sentar, mudar de posição, apoiar bem as costas e nuca, talvez não precise dela. Mantenha em mente que se estiver em um pico de crescimento, por exemplo, bebês podem mamar até por horas. Você quer ficar parada no mesmo lugar pra aproveitar a poltrona? Ela pode ficar na sala, ou em algum lugar que dê pra você conversar, se entreter, pegar alguma coisa pra comer, etc? Não é toda mulher que gosta de lugar fixo pra amamentar.
Almofada de amamentação Muita gente ama sua almofada, ela pode ser bem versátil e há quem durma agarrada nela, ponha o bebê na Tummy Time em cima dela, além de é claro, possibilitar um conforto maior para a amamentação. PORÉM dá pra substituir por almofadas comuns, lençóis ou toalhas enroladas, a perna cruzada que apoia o braço, etc. Ela muitas vezes nem faz falta, até pouco tempo atrás a humanidade sobrevivia sem numa boa. É uma escolha bem particular. Sugiro que escolha depois do parto pelo tamanho ideal e para ver se sente necessidade.
Cadeira Vibratória a cadeira vibratória é para bebês pequenos relaxarem. Alguns relaxam até deitados no sofá ou no próprio bebê conforto (raríssimo, mas acontece) então também é bom esperar pra ver se faz muuuuita falta. Pesquise bem as marcas. Algumas causaram acidentes. Tenha cautela.
Bomba de Extração de Leite Existem bombas manuais com lavancas e outras tipo seringa. Existem elétricas de vários tipos. Pra quem vai armazenar para o próprio bebê tomar no retorno ao trabalho, ou para doar ou por qualquer que seja o motivo, pode ser extremamente útil. Porém, nem todo mundo tem uma produção de leite duradoura que valha essa aquisição para substituir a ordenha manual. Eu sugiro que pense nisso depois da apojadura (se possível depois do primeiro mês, quando a produção começa a regularizar)
Móbile a visão do bebê não é extraordinária que nem a nossa quando ele nasce, mas vai melhorando. Móbiles são legais, sobretudo os sensoriais. Especialmente a partir do segundo mês (em que eles vão começar a entender que eles são donos daquelas mãos saborosas e elas fazem mais do que servir de objetos possíveis de se sugar. Os caseiros são os meus prediletos, mas existem vários tipos. com fitas, tampinhas, bichos de feltro, etc.
Tapete de Atividade é super bacana mas podem só rolar atividades num tapete com o bebê também. dispor dos brinquedos de forma que ele consiga brincar, ver mexer, ver fazer barulho, etc. Um arco com móbiles sensoriais qualquer… Eu acho que vale a compra, se estiver no orçamento, mas não é indispensável.
Fralda de pano/toalha fralda Esse é meu item predileto. Diria que é a invenção mais fantástica para o mundo dos cuidadores de bebês. Fralda de pano serve para
a) fazer rosquinhas/QWsREnWUebon9d66jKCAV4x1vanZeWns_med.jpgrodelas de peito (substitui a concha) – Vide foto ao lado
b) forrar o peito (substitui o absorvente descartável de peito)
c) fazer tipóia de seio (quando o peito é muito grande, a tipóia ajuda a mãe a prevenir desconfortos nas costas)
d) enrolar o bebê na hora de dar banho na banheira ou chuveiro (para evitar o reflexo de Moro, principalmente em bebês pequenininhos)
e) limpar golfadas
f) passar leite materno e aplicar em assaduras (do próprio seio ou do bebê) – Sim, é sério, não estou louca! Nosso leite é lindo.
g) forrar nas trocas de fralda
h) vira pano de limpeza supimpa depois que o bebê cresce
Tenho certeza que devem ter mais usos, mas por enquanto me recordo “apenas” desses. Sugiro que comprem muitos, em vários tamanhos. É sucesso garantido.


Sabemos que nesse mundão de maternidade tem lojas que amam falar que várias coisas são INDISPENSÁVEIS e INSUBSTITUÍVEIS mas a verdade verdadeira é que a única coisa da qual seu bebê precisa pra sobreviver é você. Seu peito, seu colo, seu calor, seu carinho e seu olhar. Pode parecer mega clichê, mas sinceramente, outras crianças de outros países crescem sem 10% disso tudo e são MUITO bem cuidadas e muito felizes. Somos cobradas de comprarmos tudo como se isso nos preparasse pra maternidade mas… a preparação vem de dentro. Confie no que você tem para oferecer!


Esqueci de algo? Me lembre nos comentários!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s