Partos em Série: Outlander (2014 -)

Outlander é uma série bem diferente e original sobre Claire, enfermeira (posteriormente médica) na segunda guerra mundial que acidentalmente se torna viajante do tempo.

Ela além de enfermeira na guerra, ela é apaixonada por ervas medicinais e diversas alquimias.

Desde o início da série ela acaba tendo papel de enfermeira/ médica/ farmacêutica/ “bruxa”/ parteira e vira peça coringa para salvar todo mundo em diversas situações.

Aqui comento os partos mostrados e mencionados.

Parto da Jenny – Nascimento da Maggie (S1E13)

Prelúdio: A Jenny estava estendendo roupas com a Claire, comentando que tinha certeza de que era um menino, porque ela não teve azia e nem desejo por comida azeda e a barriga baixa. A Claire lança sutilmente um olhar de “tadinha, nada ver o que ela está falando” mas se mantém em silêncio.

Logo depois, a Jenny dá um grito e percebe que a bolsa estourou.

Ainda tranquila, vai para o quarto com a Claire. Parecia estar longe de iniciar o trabalho de parto.

NOTA: Preciso comentar sobre essa parte para alertar que se trata de algo super bizarro.

A Claire apalpa a barriga (mesmo não sendo midwife) e menciona en passant que já viu parto. Não dá pra saber se viu, tipo: de olhar, estar presente, ou se já assistiu, tipo: como profissional técnica. Mas aí ela começa demonstrar uma grave preocupação.

“Seu bebê está pélvico – na posição errada… A cabeça está aqui, era pra estar ali.” E a Jenny se mantém tranquila. Mesmo quando a Claire sugere fazer um procedimento (que nós conhecemos como Versão Cefálica Externa) e o curioso da cena é que a Claire está suando e sofrendo lá pra fazer a VCE e a Jenny ri e diz “não tá dando certo, né?”

Na vida real, geralmente quem faz careta e sente dor é quem está recebendo a VCE.

Ok, o trabalho de parto de fato inicia e logo depois recebem a notícia que a parteira não poderá ir pois está ajudando um parente enfermo.

Claire oficialmente está prestando assistência.

Conforme evolui para o expulsivo, a Jenny agacha, se apoia para trás e quando já está para sair fica de 4 apoios (partos pélvicos geralmente PRECISAM mesmo ser nessa posição. Ponto para o seriado!)

E então, vem a Maggie!

Parto da Claire – Nascimento da Faith (S2E07)

Na primeira gestação de Claire, ela teve descolamento prematuro da placenta bem antes de chegar a termo. Ao ver seu marido lutando contra o tataratatara(…)avô de seu futuro/antigo marido (nunca imaginei escrever essa frase, mas quem acompanha a série sabe que não estou louca) ela gritou preocupada no duelo e o sangramento abundante se tornou visível.
DPP É algo raríssimo de se acontecer, mas muito perigoso quando ocorre. Até para os dias de hoje, em que temos cirurgias quase imediatas para serem feitas, ainda é um risco alto. Ela foi levada às pressas para L’Hôpital des Anges e sua bebê se uniu aos anjos. Seu parto foi assistido pelas parteiras e por um médico, devido ao nível de complexidade da situação.
Na série, vemos da perspectiva dela. Flashes confusos de cenas da equipe, do olhar (aterrorizante) do médico, das preces, dos instrumentos. Ela desperta sozinha, passando a mão na barriga que não está mais gestando.
Embora os esforços tenham sido grandes, o bebê nasceu sem vida. As freiras julgaram a princípio que o melhor seria não apresentar o bebê natimorto. Mas o luto da Claire só poderia se concretizar se ela a conhecesse.
Ela grita por muito tempo implorando para tragam sua bebê antes mesmo de saber que não estava viva. E ao descobrir seguiu implorando para estar com ela. A Madre Hildrege traz a bebê posteriormente, para que ela não tivesse que imaginar.
Ela descreve de forma dolorosa, minuciosa e intensa a sensação que teve.
É importante lembrar que seu primeiro (futuro/antigo) marido não podia engravidar a Claire. Ao engravidar de seu atual Jamie, ela se sentiu abençoada duplamente. A batizaram de Faith (do inglês: Fé)
Pouco após, teve tremores e febre puerperal. Provavel que pela retenção de alguma parte da placenta, que não dequitou de maneira uniforme e causou uma infecção. O padre já tinha ido rezar pela sua passagem para outro plano, mas o amigo alquimista Raymond consegue invadir a enfermaria e ajudá-la. Não fica muito claro o que ele fez, além de pressionar seus meridianos, fazer uma breve massagem na barriga e pedir para que ela o chamasse. Ela chamou o Jamie aos berros e o resto da placenta saiu. Ela melhorou e sobreviveu.(De fato essa massagem na barriga pode salvar vidas. Outro ponto pro seriado!)
As freiras felicitam o milagre dela ter sobrevivido sem saberem do Raymond.

Parto da Claire – Nascimento da Brianna (S3E01)

A Claire nesse momento tinha voltado ao futuro grávida e ao entrar em trabalho de parto sofreu as consequências da hospitalização do parto repleto de Violência obstétrica desse período (anos 40, Estados Unidos) e a experiência contrastou bastante com o parto que ela assistiu de sua cunhada, que foi domiciliar e mesmo alto risco, foi um evento familiar e com o seu parto anterior, mesmo triste, ela confiava e se sentia acolhida naquele ambiente com aquela equipe.

Nesse, o médico chegou já se demonstrando antipático. Ele faz perguntas ao marido (homem, ser racional, viril e com mais conhecimento sobre o corpo dela do que ela mesma, pela forma que a tratam – mas a Claire ignora o hábito do patriarcado e responde por si)

Falam para o marido se despedir.

Já na sala, foi colocada empresa litotomia e ela implorou ao médico para não ser sedada mas foi. O breve diálogo foi assim:

– Fique calma. Vamos cuidar de tudo. Quando acordar será uma mãe.

– Não, eu não quero ser sedada

– Enfermeira, por gentileza… Não precisa preocupar sua bela “cabecinha” com nada disso.

– Por favor, não me diga do que preciso. Estou perfeitamente capaz de decidir como quero dar à luz ao meu bebê. Se eu só (…) [Injetam ela] Mas o que foi isso?

– Apenas algo para te acalmar. BOA NOITE. DEIXE TUDO CONOSCO.

– (adormecendo) seu cretino

Horas depois, acordou sozinha e o marido (não o pai biológico da filha) apareceu prontamente com a bebê e ela pôde finalmente pegar sua filha.

Parto da Jenny – Nascimento do Ian (S3E02)

Jenny começa seu trabalho de parto e o episódio dessa vez não nos dá muitos detalhes. Mostram o contexto em qual estava inserida, sendo interrogada e investigada constantemente pelos guardas reais da Inglaterra para descobrirem se estava acobertado seu irmão foragido – e de fato, ela estava.

Durante as contrações os meninos da casa avistam um corvo, símbolo de azar, e atiram para que não traga má sorte ao bebê por chegar.

O irmão pega o sobrinho recém-nascido no colo e assim que sai do quarto onde a irmã recém pariu, os guardas invadem a casa para revistarem os moradores atrás da arma que ouviram.

Ênfase na parte em que está recém parida. Ela precisa criar uma história para os guardas, enquanto teme pela sua vida e a vida de todos que ama. Os guardas perguntam se ela pariu naquele dia, ela confirma. Para não entregar o fato de que estava com o seu irmão, diz que o bebê era natimorto e a parteira foi enterrá-lo, por isso estava sem ele. Um dos guardas felicita esse ocorrido por livrar o mundo de mais um ser daquele meio.

Vamos pensar em tudo que se passa na cabeça de uma mulher ainda no puerpério imediato tendo que ouvir isso. Ao irem embora, o bebê retorna e mama. No primeiro dia de nascido realmente os bebês costumam ficar mais sonolentos, quietinhos. Então não é tão improvável que o bebê tenha ficado quieto na hora em que os guardas vasculhavam a casa.

O que julguei como menos realístico foi o fato da mãe conseguir raciocinar tão rápido, mesmo com toda adrenalina e prática de proteger o irmão, acredito que deva ter sido bem difícil falar que o próprio filho morreu.

Parto da Geneva Dunsany – Nascimento do Willie (S3E04)

A única informação que temos é a de que de ela o teve em casa, segurou seu bebê e faleceu devida a hemorragia pós parto.


OBSERVAÇÕES

  • Não sei o motivo, mas todos nesses mundos de seriados estão falando cada vez mais de bebês pélvicos no momento do parto. Teve em Grey’s Anatomy, teve em Call the Midwife, teve em Anne With an E… nas séries está frequente mas vale lembrar que até onde sabemos, apenas entre 3 e 4% dos bebês ficam pélvicos até o final.
  • Tem no Netflix
  • Tem muita coisa sobre óleos essenciais, aromaterapia, fitoterapia, etc

Esqueci de algum detalhe? Me lembre nos comentários!


PARTOS EM SÉRIE

Friends
Big Bang Theory
How I Met Your Mother
Heartland
Grey’s Anatomy
Brothers and Sisters
Jane The Virgin
The New Normal
Grace & Frankie
Gilmore Girls
Outlander
Anne with an E (em breve)
The Handmaid’s Tale (em breve)
Call the Midwife (em breve)

Escrito por: Yohanna Cordeiro – Doula e Consultora Perinatal

Um comentário sobre “Partos em Série: Outlander (2014 -)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s