Yohanna_Rebeca

Foto: Veloso Valentim Fotografia

Esse relato pode ficar um pouco grande, porque além de falar de um dos momentos mais especiais da minha vida, minha gestação e parto, vou falar também de uma pessoa maravilhosa que esses lindos momentos me trouxeram: nossa doula Yohanna.

Ouvi falar de doulas pela primeira vez no início de 2016, quando precisei produzir uma reportagem sobre o assunto. Solicitei permissão para entrar no grupo Doulas de Brasília na busca por uma doula e uma doulanda para entrevistar. Não estava grávida e nem tinha planos de engravidar em um futuro imediato, mas continuei no grupo, mesmo após conseguir as entrevistas, porque me interessei pelo assunto e gostei de acompanhar as orientações passadas.

Quando decidimos engravidar, eu nem sequer imaginava que conseguiria ter uma doula. Apesar de termos planejado bem a gravidez, nosso orçamento estava limitado e eu nem ousava pensar muito no assunto. Quando conheci a Yohanna, foi uma grata surpresa. Além de conseguir o acompanhamento que eu tanto queria em um esquema justo e inesperado, eu me vi conhecendo uma pessoa com a qual eu me identifiquei. Se eu teria alguém comigo ali em momentos tão íntimos, esperava que tivéssemos alguma forma de conexão. E tivemos.

A forma como ela sempre respondia, tão disposista e envolvida, aos meus questionamentos e preocupações… A forma como ela fez questão de deixar meu marido confortável com toda a situação… Fez com que eu me sentisse muito mais tranquila e leve na gestação. Meu trabalho de parto foi muito intenso e demandou muito de mim emocionalmente, fisicamente e até espiritualmente. Foram 4 dias sentindo contrações que só se intensificavam a cada hora, sem falar nas semanas de pródromos doloridos. Ter a Yohanna aqui com a gente, na nossa casa desde o começo, incentivando, fazendo exercícios, conversando, nos ajudando a manter o foco… foi fundamental. Comemos pizza, rimos, choramos juntos… Foi tão intenso e tão lindo!

Quando precisei ir para a cesárea, foi um dos momentos mais difíceis da minha vida. Eu me vi sentada no chão do centro cirúrgico, me sentindo cansada, dolorida e frustrada. Ela sempre lá, cuidando de mim, me alimentando, me lembrando de respirar, fazendo os exercícios comigo… Em momento nenhum o sentimento de estar fracassando que estava pairando sobre mim teve lugar, porque ela esteve lá, me lembrando que eu fiz tudo que podia. E na cirurgia, enquanto meu marido vigiava cada passo do médico e depois seguia o bebê pela maternidade, ela ficou lá, me descrevendo tudo que estava acontecendo comigo, me dando forças pra não me desesperar.

E até hoje, 4 meses por parto, ela ainda se importa com a nossa família. Ainda orienta, cuida, acompanha. Nenhum dinheiro do mundo poderia pagar um profissional assim. E ganhamos um grupo maravilhoso de mães doulandas da Rede que se apoiam, trocam experiências, sob os cuidados não apenas da Yohanna, mas de outras três mulheres, também doulas, maravilhosas: Adele, Priscila e Ana. E nós só temos a agradecer. Quando conhecemos a Yohanna, ganhamos um grupo maravilhoso de amigos.

RELATO DE PARTO DA REBECA

Rebeca Guillardi